BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Carpe Diem.


Não sou, de fato, uma pessoa que pode ser considerada "normal". Deduz-se, então, que não penso sobre coisas comuns. Meus pensamentos nestes últimos dias, andaram vagando por um tópico considerado uma icógnita: A morte. Como cheguei aí, não sei. Talvez a notícia da súbita morte de Michael Jackson tenha me chocado mais do que eu mesma tenha percebido.

Não, eu não era uma das suas maiores fãs. Confesso que gostava de algumas de suas músicas, mas definitivamente não sou o que podem considerar como fã. Por que, então, fui tão afetada pela sua morte inesperada? Pelo adjetivo. Pelo "inesperada" que termina essa frase. Foi isso que me fez começar uma profunda reflexão a respeito do assunto.

Pode não ser a melhor referência quando se fala de um tópico sério, mas, quando penso em morte, meus pensamentos disparam imediatamente para o filme Piratas do Caribe. Mais especificamente para uma cena em que Davy Jones aproxima-se de Jack Sparrow e lhe pergunta "Você teme a morte?". Jack responde "Você não sabe o quanto".

Por que razão as pessoas temem a morte? E quem sou eu para perguntar isso? Não posso dizer que temo a morte, mas, ao mesmo tempo, não me agrada pensar em morrer. Não tenho medo da dor que vá sentir ou do que vou encontrar "do outro lado"... Na verdade, uma parte da minha angústia está, sim, nesse ponto. Tenho medo de tornar-me nada, de não mais existir.

Mesmo assim, não é isso que mais me incomoda. O que me dói é pensar na dor que minha morte causaria às pessoas que me consideram importantes. Me dói pensar em ter que deixar os meus amigos, a minha família. Uma das minhas frases favoritas diz "Viva todos os dias como se fosse o último... Um dia você acerta!".

Por que gosto tanto dessa frase?

Não só pelo humor, mas também pela sua filosofia. Carpe Diem. Seize the day. Aproveite o dia. É isso que deveríamos fazer diariamente: Dizer "eu amo você" para as pessoas que nos são importantes. Pedir perdão com sinceridade à alguém, por menor que tenha sido o erro. Perdoar aqueles que nos pedem perdão, independente da gravidade seu erro. Tomar um banho de chuva, esquecendo as consequências. Sair com os amigos sem um programa definido, talvez apenas para andar, conversar e rir. Roubar um beijo de alguém especial. Dizer "bom dia" para um desconhecido. Dar um abraço apertado em cada membro da família, em cada amigo.

Não deixar nada sem ser dito ou feito.

Por que não fazemos isso diariamente? Por que só damos valor às melhores coisas da vida quando as perdemos? Não vou mentir dizendo que todos os dias, faço tudo o que tenho vontade de fazer sem me preocupar com o amanhã. Não o faço e muitas vezes me arrependo por isso. Já me comprometi, no entanto, a tentar parar de deixar as coisas para "amanhã". Afinal, como diria Pitty:

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar... Não deixe nada pra semana que vem porque semana que vem pode nem chegar!"

2 sorriso(s) a mais no meu rosto :D':

Rafa Cullen disse...

Perfeito o post, como sempre... Sugestão: siga seu próprio conselho: roube o beijo de alguém especial quando as aulas voltarem ;) Beijinhos ;*

luh_m_k_g disse...

concordo com rafinha huahsuahhauhsahs 6:
bjoo