BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Reencontro.


Inspirei profundamente o ar frio da noite, sentindo aquela brisa suave e fria tocar a minha pele e bagunçar os meus cabelos. Abracei com mais força os meus joelhos, apertando-os contra o meu peito, e apoiei nos mesmos o meu queixo, tentando dissipar o nó que podia sentir em minha garganta.

Afinal, será que ela viria?

Abri meus olhos lentamente e deixei-os percorrerem cada janela iluminada dos prédios à minha frente até que alcançassem o infinito negro sobre a minha cabeça. Durante alguns instantes, tudo que pude ver foi o escuro... Pouco a pouco, no entanto, pontinhos brilhantes começaram a surgir naquele véu negro, dando uma beleza indescritível a mais uma noite gélida de inverno.

Mordi meu lábio inferior, deixando que meu corpo caísse para trás e deitando-me na superfícia lisa e fria de metal do banco. Alguns galhos de uma árvore próxima entraram em meu campo de visão, mas não lhes dei atenção... Estava por demais ocupada observando as estrelas.

Sim, era verdade... Cada uma delas, brilhando naquela imensidão negra de forma encantadora, lembrava-me o seu olhar. Aquele olhar que fazia o meu coração bater mais rápido e todo o meu corpo se aquecer. Soltei um suspiro profundo, passando os dedos pelos fios de meu cabelo. Voltei a fechar os olhos e concentrei-me apenas em ouvir os sons ao meu redor.

Não havia nenhum barulho realmente alto ou chamativo... O mundo estava em um silêncio quase total... Quase como se compartilhasse da minha apreensão, da minha ansiedade. Quase como se esperasse para saber o desfecho daquela história... Aquela história confusa e complicada, mas ao mesmo tempo tão bela e única.

Aquela história cujas personagens não eram perfeitas... Longe disso, na verdade.

Uma delas era um anjo... Sim, um anjo, não havia nada que a descrevesse melhor. Nenhum outro ser poderia possuir uma doçura tão grande no sorriso, no olhar, no coração. Um anjo um tanto atrapalhado, entretanto. Um anjo que se apaixonara loucamente por uma humana... Uma simples mortal que jamais poderia suprir todas as suas necessidades... Que jamais poderia, independente do quanto tentasse, alcançar o seu nível de perfeição e divindade.

Uma mortal que cometera o imperdoável erro de ser cega... Uma mortal que não fora capaz de enxergar os seus sentimentos enquanto ainda era tempo. Uma mortal que deixara o seu anjo da guarda voar para longe... Que deixara a sua dose diária de alegria ir enfeitar a vida de outra pessoa.

Uma mortal que finalmente, após fazer o anjo sofrer e deixa-lo ir embora sem nenhuma discussão, percebeu o que seu coração passara tanto tempo tentando lhe dizer. Ela a amava. Não gostava dela. Não a adorava ou admirava... Ela a amava. Amava-a com todas as forças que possúia. Precisava dela para alegrar os seus dias e colorir a sua vida... Não queria ir a lugar algum se não pudesse tê-la ao seu lado.

Ela era tudo que importava em seu mundo.

Sim, eu era essa mortal... Eu era a mortal estúpida que demorara tanto tempo para perceber que deixara a sua felicidade escapar. Sair voando pela janela... Ela? Ela era o meu infinito particular. A única coisa da qual eu precisava para poder respirar. Sem ela o meu sorriso estava apagado.

Um som quebrou as barreiras invisíveis do silêncio da noite... O som suave de passos que se aproximavam. Passos curtos, rápidos... Inseguros. Passo, passo, passo... Pausa. Um, dois, três... Passo, passo, passo. Pausa. Um, dois, três, quatro, cinco... Passo.

Prendi a respiração, esperando.

Era como se ela receasse aproximar-se... Seria mesmo ela? Estaria eu esperando demais? Talvez... Talvez ela não estivesse mais disposta a me ver. Talvez eu devesse aceitar que aquele adeus fora definitivo... E que eu havia sido a responsável por ele. O erro fora meu e eu teria que conviver com a culpa até o meu último dia.

O som dos passos interrompeu-se e inspirei profundamente o ar frio da noite. Um cheiro um tanto conhecido alcançou-me... E nada mais importava.

Ela estava ali.

I'm not a perfect person
There's many things I wish I didn't do
But I continue learning
I never meant to do those things to you
And so I have to say before I go
That I just want you to know

- Quantas vezes eu preciso repetir... - Sua voz alcançou os meus ouvidos e o meu coração falhou uma batida. - Que você deveria arrumar esses cabelos?

Soltei uma risada baixa e trêmula enquanto abria meus olhos e sentava-me no banco. Trinquei os dentes com força e inspirei profundamente, repetindo mentalmente para mim mesma que nada demais iria acontecer, antes de ter coragem suficiente para erguer a cabeça e encontrar o seu olhar.

Por um momento, esqueci de respirar. Esqueci qual era o meu nome e o que estava fazendo ali. Esqueci o que significavam as palavras "frio" e "calor". Esqueci o que sentia, esqueci o que deveria dizer, esqueci todo o meu passado. Por um momento, um único e breve momento, o resto do mundo não existia... Eu só podia vê-la.

E ela estava linda.

I've found a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
And the reason is you


Seus cabelos, negros como a noite em que minha vida se transformara após a sua partida, estavam presos em um rabo de cavalo baixo e ondulavam com a suave brisa noturna. Seus olhos brilhavam mais que todas as estrelas no céu sobre nossas cabeças. Seu sorriso, tímido e inseguro, parecia iluminar cada pequena parte do meu ser.

E eu simplesmente não precisava respirar, sentir ou viver... Porque ela estava ali.

O silêncio que caiu entre nós não foi, de forma alguma, desagradável. Ela adiantou-se e sentou ao meu lado no banco, o calor de sua pele esquentando o meu coração. Depois de tanto tempo, finalmente eu podia sentir que o vazio em meu peito estava novamente preenchido.

Por alguns instantes intermináveis, não dissemos nada. Não era necessário. Eu sabia, em algum lugar dentro de mim, que ela sentira a minha falta... Talvez tanto quanto eu sentira a sua.

- Recebi a sua mensagem. - Comentou, seus olhos perdidos em algum lugar do infinito. Eu só tinha olhos para ela. - Você disse que tinha algo importante a me dizer... Devo dizer que fiquei no mínimo curiosa.

Ela lançou-me um olhar divertido, mas seu rosto enrubesceu assim que percebeu que eu a estivera observando. Mesmo assim, não fui capaz de desviar o olhar. Mordi o lábio inferior, insegura... Mas não podia me permitir falhar. Não novamente. Suguei o ar por entre os dentes bem lentamente, procurando em algum lugar a coragem que eu passara tanto tempo juntando.

I'm sorry that I hurt you
It's something I must live with everyday

And all the pain I put you through

I wish that I could take it all away
And be the one who catches all your tears

That's why I need you to hear


- Só queria pedir perdão. - Murmurei. Meu sussurro foi tão baixo que temi que o sopro de vento que passara por ali no exato momento eu que eu pronunciaria tais palavras pudesse ter se sobreposto ao som da minha voz.

Uma expressão confusa atravessou o seu rosto e lá decidiu se instalar. Seus olhos pediam por uma explicação, mas minha voz parecia presa em minha garganta... As palavras coçavam os meus lábios, implorando passagem, mas eu não sabia se seria capaz de explicar cada sentimento e pensamento que passara por minha mente nos últimos meses.

Não, eu não seria.

Eram pensamentos demais... Sentimentos por demais profundos e confusos para que alguém além de mim pudesse entender. E mesmo eu passara muito tempo medindo-os e pesando-os antes de compreender o que eles tentavam desesperadamente me dizer. Ela não seria capaz de compreender... Ou seria?

Meu olhar encontrou o daquela garota - aquela garota que passara tantos meses em meus sonhos, aquela garota que povoara os meus desejos mais persistentes, aquela garota que roubara um espaço mais do que "apenas" especial em meu coração, aquela garota que levara a razão da minha vida embora ao partir... Aquele anjo que voltara para me ver quando lhe pedi - e eu soube, sem saber como, que ela entenderia.

Talvez até melhor que eu.

Mesmo assim, quando finalmente consegui fazer com que minha voz passasse pelos meus lábios e cortasse o ar frio da noite, não fiz o grande discurso que tanto planejara fazer.

Não lhe disse o quanto ela era essencial em minha vida e o quanto eu fora boba por não ver isso quando ainda era tempo. Não lhe implorei para voltar, não lhe disse o quanto desejava poder vê-la sorrir todos os dias da minha vida, não afirmei que o calor da sua mão era inigualável e o encaixe dos seus lábios nos meus era perfeito.

Não lhe disse o quanto pensava nela diariamente, não narrei os meus sonhos e os meus desejos, não tentei persuadi-la a me aceitar de volta. Não prometi a lua, as estrelas e o infinito... As únicas palavras que os meus lábios conseguiram formar foram:

- Eu amo você.

I've found a reason for me
To change who I used to be

A reason to start over new

And the reason is you

And the reason is you

And the reason is you

And the reason is you


E mesmo que eu soubesse que essas palavras não explicavam ou justificavam nada, de repente o mundo entrou nos eixos e tudo fez sentido. Como uma criança que acaba de montar um quebra-cabeça e pode finalmente ver a bela imagem de um arco-íris formada por todas aquelas pecinhas juntas.

Eu sabia, pelo brilho que se acendeu em seus olhos, que ela compreendia exatamente o que eu queria dizer. Sabia também que aquilo era real e que nenhuma palavra no mundo poderia descrever aquele momento, aquela troca de olhares, aqueles sentimentos que pareciam passar entre nós com a força de uma corrente elétrica e a suavidade de uma brisa de verão.

Subitamente eu compreendi tudo. Cada mistério "insolúvel" que já atravessara os meus pensamentos parecia resolvido. Não existia mais nenhuma pergunta em minha mente, nada mais parecia impossível.

Por que Deus criou o universo?

Por que ainda existem pessoas que tem esperança no homem?

Por que as crianças ainda acreditam na bondade dos adultos, mesmo quando estes lhes quebram alguma promessa?

Por que o cachorro é completamente leal ao dono, mesmo quando este lhe repreende?

O que move o mundo?

O que faz o tempo passar?

O que cura todas as feridas?

O que faz a vida seguir, mesmo quando tudo parece acabado, mesmo quando tudo dá errado?


A resposta, eu finalmente compreendera, era tão simples que não podíamos vê-la... Mas ela estava ali, sempre estivera, bem diante dos nossos olhos. A resposta batia em nossos corações diariamente. A resposta era a mais singela palavra já criada pelo homem para definir o mais puro, infinito e perfeito sentimento já sentido: Amor.

I'm not a perfect person
I never mean to do those things to you
And so I have to say before I go

That I just want you to know

E, ao mesmo tempo, eu não podia ver nada ao meu redor. Aqueles olhos prendiam toda a minha atenção, aquele sorriso aquecia cada pequena parte do meu corpo e o meu coração batia disparado... Nada mais no mundo importava, eu sabia, além dela.

Eu sabia, eu podia ver em seus olhos, que estava perdoada, mesmo que ela não tivesse pronunciado palavra alguma. Quando ela estendeu a mão e roçou a ponta dos seus dedos na palma da minha mão, eu soube que nada do que se passara tinha alguma importância. Não pertencíamos ao passado e não nos cabia pensar no futuro.

Não naquele momento.

Naquele momento... Naquele exato momento... Tudo que importava éramos nós. Era o toque quente e macio das mãos nos rostos, o encaixe perfeito dos lábios, os batimentos sincronizados dos corações...

Naquele momento, não existiam diferenças ou igualdades, perguntas ou respostas, dúvidas ou seguranças, presente, passado ou futuro. Tudo que havia naquele instante, naquele pequeno e mísero instante, eram duas almas... Duas almas ligadas por uma linha tênue e frágil - que era, ao mesmo tempo, o mais poderoso sentimento existente: O amor.

I've found a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new

And the reason is you


I've found a reason to show

A side of me you didn't know

A reason for all that I do

And the reason is you




Obs.: Erm, sim, eu sei que ficou... Ahm... Meio... Grande... x_x' Mas espero que alguém tenha tido a paciência de ler até o final porque realmente escrevi isso tudo com o coração. ^^' A propósito, as partes em itálico são de uma música chamada The Reason da banda Hoobastank. Uma música linda, vale a pena ouvir. :D' Manifestem suas opiniões sinceras a respeito do texto, okay? ^^' Beeijo ;**


9 sorriso(s) a mais no meu rosto :D':

Milla Sullivan disse...

aai q lindo *-*
agora tem q mostrar isso ao "anjo" xD
ameei *-*
bjoo

Desirée disse...

Fico lindo amigaaaaa!
Pq vc sempre me faz chorar?!!!!!!
Tem selinho pra vc lá no meu blog ^^
ps.: eu amooooo essa música

Bia disse...

Tá lindo.^.^

Rafa Cullen disse...

ain, que lindinho, vc postou *-* estou emo.cionada *-* essa historia eh linda demaaaaaaaaais³³³*o* vc simplesmente TEM que mostrar isso ao "anjo" ^^ e continuo dizendo: vc eh cega mesmo... n se vê com muita clareza, e isso eh uma cegueira imperdoável (y'
beijinhos ;*

Lua M. disse...

Uau O.o
Lindo

Vick Gabby disse...

Que lindo. Você tem talento pra escrever.

Anne Charlott *_* disse...

MEU DEUS! COMO VOCÊ CONSEGUE ESCREVER ASSIM!
Eu escrevo MUITO MUITO MAL mesmo =0

lubisco disse...

Tai, não só tive paciência como imenso prazer em chegar ao fim da sua história. Há imagens belíssimas e texturas que são perceptíveis no ato da leitura! Parabéns!

Bia L. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.